Google+ Followers

segunda-feira, 21 de março de 2011

Duas folhas da roseira



Hoje deu vontade de desenhar o entardecer com um abraço.
Explico: Manoel de Barros já havia feito isso com a manhã. Fez dela a "Manhã de pernas abertas para o sol". Daí, se o mestre faz, abre-se uma linha imaginária nas tentativas dos aprendizes. E foi assim que, num entardecer que tinha quase nada para ser tão interessante quanto a lua cheia, surgiram cores que ao invés de bailar na paleta do criador, rodopiaram pelos meus (a)braços.

Eu aprendera em algum lugar que para colorir não era necessário giz de cera ou caneta hidrocor. Bastava o olhar. Mas fazia muito tempo. E o tempo às vezes tem apresentação acinzentada. Rouba a beleza do olhar da gente.

Mas hoje, perto das 16h34 da tarde, dava para avistar todas as cores perdidas nesse tempo que arrisca as virtudes da gente:

Desregular a matemática das horas;
Ouvir por trás das buzinas;
Acalentar o sonho da sinceridade;
Aprender palavras novas [lenitivo]
Catar pedacinhos de si mesmo e dar para os outros;
Ter mais paciência com as lesmas;
Se rir;
Não ter vergonha de si chorar;
Ser só alguém. Ou alguém só.

Hoje eu entardeci meus desenhos infinitos da memória com um abraço. E vi que amarelaram duas folhas na roseira. Para dar lugar a outra que vem nascendo.
* Dedico a P e a A.

4 comentários:

Anônimo disse...

Creidinha, eu tinha vindo aqui ontem, com efeito retroativo rs.
Mas só espiei.
Fico encabulada de tecer comentários, quando tudo o mais já foi dito por você.
Que venham outras flores pra esse roseiral.
bjs meus e ronronadas de L + D rs.

carito disse...

legal sheylinha, colorir com o olhar, é massa, de modelar! em tarde ser, e perceber, além das coisas mesmas o slow motion das lesmas, controle re-mato, fogo-fato, e por do só, sem eira nem beira, só roseira!

Mme. S. disse...

Carito, você é mesmo muito bom. Faz poesia até com as cores cinzas dos outros. Obrigada pelo carinho de sempre. Bjs, S.

cacau disse...

Lindoooo!!!Fiquei emocionada...

bjs