Google+ Followers

sexta-feira, 3 de junho de 2011

Vontade de mar






Um barquinho à deriva no meio da rua. Sequer uma gota de chuva para consolar. Fiquei com pena do barquinho. Ali sozinho, sem canto de sereia para se encantar. Tive vontade de dizer que a cidade é uma selva. E que ele tivesso cuidado com os carros, os pés e o vento sem norte. De repente, não sei, fiquei com vontade de mar.



3 comentários:

Débora Oliveira disse...

E eu com vontade de amar =)

Mme. S. disse...

Que bonitinho! Essa vontade é boa também né? Bjs, flor!

Carito disse...

Vontade de mar! Viva! Mesmo à deriva!