Google+ Followers

quinta-feira, 8 de setembro de 2011

Pausa na letargia




Meses e meses esperando a letargia passar. Aguardando placidamente o barco das boas novas arribar às margens da minha face perdida, meu coração em flor, a alma mole em revés ao corpo de pedra. O paraíso e inferno no silêncio dos meus dedos. Mas ela ainda não foi embora. Habita meus membros e insiste no amarelo de sentimentos arranhados.


Nessa brecha em que me escondo, antes dos dedos retornarem a me falar coisas e sonhos que possa compartilhar, um passarinho morreu na minha mão. A perplexidade de sua morte, o corpo pequeno e inerte ainda quente, fez meu tato pulsar. Nenhuma tentativa era possível. Só o guardei na caverna das minhas mãos para ter um pouco mais de tempo para lamentar a fatalidade e selvageria dos dias. Lembrei daquela outra história do passarinho morto e o milagre do palestino. Mas era sábado e talvez fosse sua hora de descanso. O passarinho foi um presente que eu não desejei ganhar. Há presentes com essa natureza.


Ontem sonhei com emissários. Eles trazem girassois, pergaminhos e bem-te-vis. Talvez um pouco de esperança porque não me acordaram bruscamente do sono. Sonho também com longas cartas, parentes distantes e um homem sem rosto, ao mesmo tempo tão familiar e acolhedor. Decerto seja um barqueiro, que trará o azul e a brancura de volta.


O que eu poderia dizer? Se não há espaços para mentiras, também não há espaço para o clandestino e o supérfluo. Mergulho nas minhas águas profundas, revolvo a terra que decanta os dias, o trabalho, as outras pessoas, os sentimentos, os rumores, as palavras e também a escuridão.


O manancial a que me entrego é libertador.


2 comentários:

Waleska Maux disse...

amigaaaaa entao estamos as duas LETARGICAS! ufa..acabei de postar isso no meu blog e vim te ver..e vi!
não estou sozinha na lerdeza..rss
novidade 1- aneurisma
novidade2 - farei meu testamento de coisinhas poucas q tenho e amo. deixarei uma joia p ôce..rs
placida e dedeia tbm foram incluidas!

Mme. S. disse...

Miga, que história é essa!
Você é praticamente imortal. Nem me fale uma coisa dessas viu?
E o pior é que eu acho que não tenho seu telefone de jampa para te ligar agoooora! aff!