Google+ Followers

quinta-feira, 12 de julho de 2012

Uma vela pro santo *

Katie Holmes e Tom Cruise estão resolvendo a papelada do divórcio. O Governo lança um novo plano de ação para a saúde pública, depois de reconhecer o óbvio; a cantora, que é mais famosa pelo número de casamentos fracassados, Gretchen, pediu para sair do reality A Fazenda. O destino político de senador Demóstenes Torres será definido esta semana; Sabrina Sato e Fábio Faria terminaram (de novo) o namoro. A Justiça e a polícia apreendem documentos na casa do ex-presidente da França, Nicolas Sarkozy, em busca de provas de corrupção e um possível envolvimento seu com o coronel Muamar Kadafi, que já passou dessa para melhor.

Todos os dias é assim. Um porrilhão de informações nos chega aos olhos e ouvidos. Algumas úteis e afins, pertinentes, outras pirotécnicas, dispensáveis, desnecessárias. Sem contar aqueles textos subliminares, cheios de malícia e recheados de falácias, com o perdão da rima pobre, que nada dizem e nada acrescentam, mas são desenhados de maneira impostada, com o claro desejo de transformar os leitores em ovelhas obedientes.

Muitos de nós concordamos que há informação demais da conta. Nunca foi tão real e palpável o axioma de que quanto mais sabemos, mais descobrimos o quanto somos ignorantes. Calma, não pretendo xingar ou ofender ninguém com o que digo. O fato é que há vinte anos não tínhamos tanto essa consciência de que não sabíamos. Agora, com tanta informação que acaba ficando de fora, sabemos que não sabemos. Estamos sempre correndo o sério risco de responder negativamente para alguém quando pergunta: "você leu aquele artigo que falava sobre tal coisa?". A corrida muitas vezes é desleal com o próprio tempo de cada um. E isso pode ser um prato cheio para os oportunistas de plantão, no mundinho competitivo e predatório, sobretudo do mercado de trabalho.

Mas calma. Nem tudo está perdido. Aquilo que você lê ou ouve e realmente apreende para o seu repertório de vida, pode reverter toda essa onda de ansiedade e iminente incapacidade de saber de tudo. Se para Claude Shannon, um dos maiores catedráticos da Comunicação, informação é aquilo que reduz a incerteza, então, quando qualquer coisa que passar pela sua frente lhe confundir mais do que esclarecer, deixe-a no lugar que merece: na lata do lixo. Esqueça um pouco das pegadinhas, dos enigmas e do excesso de opinião. Quando a gente tem muita informação - por exemplo, estima-se que existem mais de três bilhões de páginas na internet – e pouco se aprende com elas, melhor fazer outra coisa mais útil na vida: um macarrão com salsicha, uma pelada com os amigos, acender uma vela para o santo.

* (Texto publicado na terça, 10 de julho, no Novo Jornal, com outro título)


2 comentários:

Cacau disse...

Como é bom ter vc aqui, pois sempre que quero ler algo BOM DE VERDADE venho aqui sem piscar e leio releio... Amo tudooo isso!

Bjosss She :)

Mme. S. disse...

Ow Cacauzinha, obrigada pelo carinho. E adorei o "She". Nunca tive muitos apelidos (acho fofinho), mas She é um dos que mais gosto. Você é uma querida mesmo.