Google+ Followers

quinta-feira, 12 de setembro de 2013

A primeira dedicatória




Finalmente chegou.
A primeira dedicatória foi escrita para você que teve três filhos varões mas, que não fechou os braços para acolher uma "sobrinha-emprestada" que lhe chegou quase pronta. Nas poucas linhas, algo que dizia mais ou menos assim: "esse livro conta a história desse homem tão importante para o estado, mas também é um pouco da minha história e, por consequência um pouco da sua". 

Acho que nunca te disse mas, eu achava o máximo você se preocupar de eu sentar no chão quente da calçada da escola. E dizer que aquilo poderia "ofender". Eu também me lembro daquele dia que caí doente, sangrando, e você me levou às pressas para o pronto-socorro. E também teve aquele outro dia que um morcego me mordeu enquanto eu dormia - inacreditavelmente no pescoço, o que é mais doido - e você me levou para o Giselda, preocupado, sabendo que poderia ter consequências graves. Eu perguntava, meio na dúvida, por que você havia ligado para a diretora do hospital da época, sua colega na Universidade, e você impassível, disfarçava. "Não, a gente só vai mesmo por desencargo de consciência", e mexia o ombro, num cacoete que você tem e a gente já está acostumado. Eu poderia até morrer, mas você não me fez medo. Você simplesmente estava lá. E só parou de mexer o ombro quando a médica disse que eu tomaria o soro e ficaria bem. Outra vez, você me deu carona e aproveitou para me dar um pequeno conselho e pedir que eu tivesse calma e conversasse que tudo poderia acabar bem. É que você tinha ouvido uma discussão minha aos berros com o meu namorado da época, o Tuca, e achou que a gente poderia se dar uma chance. Conversar, compreender, perdoar. Foi o que você falou. Deve ser por isso que você está há 39 anos com a mesma pessoa. Seu conselho não surtiu o mesmo efeito que reverbera até hoje na sua relação com a minha tia mas, naquele sábado, funcionou super bem.

E mesmo discordando, mesmo dizendo que eu estava errada, mesmo escancarando as possibilidades e as portas, você deixou que eu saísse da sua casa para ir encontrar a minha nova vida que não tinha teto, não tinha nada, mas me dava a perspectiva de ter asas e ser livre para fazer minhas escolhas e desenhar o meu caminho. E, com o tempo eu aprendi que isso  é, essencialmente, poder fazer escolhas, que não desrespeitem ou firam ninguém. 

Você entrou comigo na formatura. Temos poucas fotos mas você fez questão de colocar sua Beca de professor. Fiquei me achando. O tempo foi passando, as expectativas mudando e você embora não fosse muito de demonstrar, se orgulhava de mim e das minhas conquistas.Como essa que eu te entreguei ontem. Hoje eu sei que você nunca foi muito mesmo de conversar e, agora, às vezes suas ideias - e as minhas ideias - são paralelas ou, se se cruzassem certamente teriam nós para desatar, porque é assim que acontecem com as gerações de pais e filhos. Mas, a mim, a seu respeito não importam os nós, importam os laços que eu criei contigo. Importam as conversas sobre política, sobre o Governo Federal e sobre os meninos - que diga-se de passagem, já lhe deram outros meninos de presente. Importa quando a gente se abraça na entrada e na saída de qualquer encontro e eu sinto que estou abraçando um homem honrado, dedicado e comprometido em tudo o que escolheu fazer.

Tio, você foi e é peça importante da minha história. Obrigada, com todo meu amor. Foi  mais ou menos assim que eu terminei aquela dedicatória.

5 comentários:

Lobo da Caatinga (Canis lupus caatinguensis ssp,) disse...

Caramba, meu ex professor!!!! Adoro este cara!!! Quero este livro, busco aí!!!!!!!!! Parabéns Querida!!!!

Mme. S. disse...

Caramba! Por um instante eu esqueci desse detalhe, Tuva. É verdade, titio foi teu professor né? Bjs querido, obrigada por fazer parte também dessa história.

Mme. S. disse...

Ah, sim, e manda beijo para a Lu, quando vierem aqui, deem o ar da graça.

nivaldete disse...

não há nada melhor do que amor. amor desse, que cuida, orienta, solta. feliz por você.

Unknown disse...

Tô emocionada, amiga! Amo ver suas conquistas, também! Me orgulho de ver de onde viestes e para onde tens ido. Da sua coragem, princípios, caráter, sentimentos... Me orgulho de ser sua amiga! Um beijo.