Google+ Followers

segunda-feira, 3 de fevereiro de 2014

Coisas que irritam a pessoa



sempre achei esse gesto do dedo um acinte, uma ofensa feia e deselegante a quem quer que seja. mas, véi, na boa, tem algumas pessoas/situações que merecem ao menos que mentalmente façamos isso, já que na real eu não teria coragem.

você chega num balcão de atendimento, seja de um estabelecimento comercial, de uma clínica ou de uma instituição pública. a pessoa que, em tese, deveria saber atender você, te olha com cara de cu, mascando chicletes e dá graças ao senhor pelo telefone tocar para ela não ter que te dar atenção. aí ela solta a pérola: "um minutinho"... como assim? um minuto tem 60 segundos. nem 15, nem 63. sessenta segundos. então, não existe minutinho. minuto é minuto, poxa!

tem desdobramentos: daí você fica esperando e tal. e ela desliga e o telefone volta a tocar e advinha quem tem prioridade? o telefone, claro. você, que é gente, que está ali na frente dela, que está de pé, esperando, não é prioridade, definitivamente. se não está do outro lado da linha, então aguente!

você dá bom dia para a pessoa, ou as outras variações, boa tarde boa noite, que valha. e ela não responde de volta. pelo contrário, emudece total. fica te olhando com um outro tipo de cara de cu, como se retrucar com boa educação um bom dia fosse "gastar" bom comportamento.

você está no ônibus, nem tão lotado assim, vá lá, mas, entre atropelar a pessoa ou passar por ela pedindo "com licença", e ela finge que não ouviu. nem mesmo finge que você é um fantasma e está lhe soprando algo no ouvido. e quer saber quando isso é mais irritante? quando é justamente na porta de saída do ônibus. porrán! você pede parada, se dirige à porta e pensa que a pessoa que lá está, plantada em frente (algumas até se sentam no batente) vai descer também e, nada. a porta se abre e ela sequer se afasta um pouco para deixar o desinfeliz passar. respira fundo, respira fundo, mentaliza coisas boas: um pudim de leite, uma brigadeirinho, um gatinho alegre e saltitante, cheiro de livro e segura na mão de deus e vai!





2 comentários:

Alexandre Gouveia disse...

Sheyla, tenho vontade de comprar um taser, aquelas maquininhas que dão choque , sabe? por que tem situações que PQP, falta de educação eu dou risada, porque incomoda mais do que o constrangimento e acredite, no meu ambiente profissional é uma realidade diária, tipo:
-Bom dia..
-Só se for para vc!
-que pena, o meu está ótimo! ;)
beijão!

Mme. S. disse...

Caramba, Alexandre! Que coisa horrível! Mas a ideia do choque não é tão ruim assim... kkkk. Nem que seja imaginário também, como o dedinho em riste. Beijão querido.