Google+ Followers

terça-feira, 20 de maio de 2014

Meu coração é verde e amarelo




* Não morro de amores por futebol. Na verdade, já tentaram me explicar umas 15 mil vezes o que é tiro de meta e, no minuto seguinte, me esqueço. Quem entende, e gosta, fica fascinado porque faz associações extraordinárias do futebol com a física, a matemática, a química e o raio da silibrina. Eu fico olhando e ouvindo e me fascino pelo fascínio alheio porque não entendo tanta paixão por onze+onze homens correndo atrás de uma bola. E se paro para assistir a uma partida de futebol não é por outra coisa se não para olhar as belas e torneadas pernas dos jogadores. Aliás, o time da escalação (quem é mesmo o técnico?) tem vários lindos rostinhos e pares de perna. Mas, voltando à compostura, não morro de amores, não entendo, mas respeito.

E se tem uma coisa que está me irritando muito nesse período é essa onda de vozes nas redes sociais, nas esquinas e nas paradas de ônibus, dizendo que não vai ter o mundial. Vamos ser razoáveis? Vai ter Copa sim. E vai ser no Brasil. E, na época em que foi decidido que a Copa seria aqui, se por acaso o Brasil não tivesse sido escolhido, estava essa mesma horda berrando a lamentar o fato de a Copa não ter vindo para o Brasil e blá blá blá blá.

O fato é que não sou especialista em nada no quesito futebolístico, mas há algum tempo, eu disse aqui nesse meu pedaço de jornal que a Copa seria boa para a Fifa, os políticos e empreiteiros. E, diante das obras de mobilidade que estão atrasadas e algumas nem saíram das promessas, dos prejuízos comerciais que alguns já começam a sentir, dentre outros castelinhos de areia que caem por terra, acredito cada vez mais nisso. Porém, aos amantes do futebol, fica uma dica, o grande legado da Copa para o brasileiro vai ser a conquista da taça. O resto continuará como dantes. 

Não é privilégio da Copa existirem obras superfaturadas, atrasadas, transtornos, chuvas, alagamento, seca, altos impostos, mal emprego do dinheiro para a saúde e a educação, trânsito lento e caótico, calor do cão. Aproveitando a deixa da histeria coletiva, sinceramente, nem tudo é culpa da Copa e nem tudo é culpa do PT! A impressão que dá é que todos aplaudiram e se extasiaram com a vinda da gringada para o Brasil, sem se dar conta da necessidade de preparação a tempo e a contendo para receber visitas em casa. Ora, se você só tem seis talheres, não convide dez pessoas para jantar. Claro que eu sei que não é culpa da população a procrastinação das obras, o emprego de vultosos valores para construção de estádios ou a ingerência no planejamento para "arrumar a casa" por parte de todos os gestores públicos envolvidos nas 12 cidades sede. Mas, convenhamos, se vai ter Copa, então vamos torcer a favor. Vamos deixar de hipocrisia porque quem reclama agora vai adorar “feriar” nos dias de jogos, vai adorar tomar umas e outras e tremular bandeiras verdes porque, afinal, todos temos o coração verde e amarelo.

* Texto publicado, originalmente, hoje no Novo Jornal

Nenhum comentário: